Cuidado com os movimentos repetitivos. Entenda a síndrome do impacto

shoulder pain in a senior man

A síndrome do impacto acontece pela inflamação da bursa, uma pequena bolsa cheia de líquido que fica posicionada na região dos ombros, entre a cabeça do úmero e do acrômio. Essa doença também é chamada de bursite, porém a bursa existe em outras articulações do corpo, então essa nomeação pode se referir a qualquer bursa inflamada. Os sintomas mais comuns são dores noturnas na região do ombro e dor para erguer os braços acima da cabeça.

Essa doença pode afetar qualquer pessoa, mas existem alguns fatores que aumentam o risco da inflamação. A bursite torna-se mais comum em idosos, além de poder ser consequência de outras condições médicas, como artrites e gota. Porém, uma grande causa está associada a práticas do cotidiano, como um trabalho que faça muitos movimentos repetitivos ou um hobby que force o paciente a permanecer na mesma posição por muito tempo (golfe, pescaria, arco e flecha, etc.). Traumas ou esforço repentino também podem inflamar a bursa.

O diagnóstico é feito por testes que o médico deverá fazer para identificar quais são as possíveis lesões, então poderá ser requisitada exames de raio-x (não revela a doença, mas elimina a possibilidade de outras), ultrassom ou ressonância magnética.

O tratamento é feito, sempre que possível, de forma não invasiva. Contando com o acompanhamento de um fisioterapeuta e de anti-inflamatórios e analgésicos. Nos poucos casos em que essas medidas não são o suficiente, há o tratamento cirúrgico que consiste em raspar as protuberâncias ósseas que estão pressionando a bursa. A técnica utilizada é a artroscopia, em que duas incisões de 1 cm são feitas no paciente, buscando uma recuperação mais rápida e completa.

Os procedimentos são dominados pelos médicos da Clínica de Ombro Curitiba e, este texto não substitui e não é válido como uma consulta médica. Apenas um profissional capacitado pode alegar qual a doença e gravidade de cada paciente.